Perfil

Nome: Tati Albuquerque
Idade:27
Signo: Aquário
Cor: Azul
Coisas que adoro: Malido, amigos, sexo, musica, escola.
Coisas que odeio: inveja, ciúme, falsidade, verduras, regime.


Blogs

Blog da tia fah!
Blog do André
Plog da Pri


Spaces

Meu Space!
Pri
Daniel
Rodrigo afilhado
André
Telma
Maurício
Teo
Fah


Links

Garotas que dizem NI!
Textos - Emerson Merhy:Saude!
Médicos na cozinha: outras receitas
Pindorama Circus


Arquivo

  • Junho 2005
  • Outubro 2005
  • Novembro 2005
  • Dezembro 2005
  • Fevereiro 2006
  • Março 2006


  • Layout Por



    terça-feira, março 21, 2006



    .:: Cristianismo, aborto e deficiência ::.


    Embora nunca tenhamos nos encontrado pessoalmente, leio os escritos do Fábio como se escutasse a um velho amigo. Vocês por aqui também já se habituaram a ouví-lo por aqui... hoje eu trago, após boas férias, mais um texto para que todos reflitam...
    Abraços
    Tati

    ____________________________________________________________________


    Cristianismo , aborto e deficiência

    Assim como, no meio do povo surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão dissimuladamente heresias destruidoras, até o ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição
    (I Pe 2:1)

    Presb Fábio Adiron Ribeiro*

    Com pai de uma criança com Síndrome de Down e moderador de um grupo de discussão sobre o assunto eu acompanho diariamente as notícias que surgem sobre o assunto. Há alguns dias fui surpreendido por um artigo no site “Mídia sem máscara”[1], onde uma articulista católica dava um puxão de orelha no ex-pastor presbiteriano Caio Fábio de Araújo Filho por ele ter recomendado no seu Blog a um missionário que descobrira que seu filho que estava por nascer teria Síndrome de Down, que o mesmo deveria abortar a criança.

    Estarrecido, fui buscar o texto original, que me chocou ainda mais que o artigo que eu tinha lido, nele surgem algumas afirmações assustadoras.

    Caio Fábio : "Creio que há duas situações nas quais levar uma gravidez desse tipo até o fim é objeto de aceitação, e que pode virar até mesmo em alegria e contentamento. A primeira é quando o casal não sabe e tem o filho com tal deficiência."Ou seja , a ignorância prévia justifica ter o filho deficiente ? As pessoas que não tem condições financeiras ou culturais para realizar os sofisticados exames de detecção pré-natal seriam obrigadas a aceitar a deficiência do filho como a vontade de Deus, enquanto que aqueles que tem podem fazer prevalecer sua vontade sobre a do Criador ?Caio Fábio : "Conheço muitos pais com filhos portadores da “Síndrome de Down” e que reportam o fato de que tais crianças são alegres e felizes, embora criá-las mude toda a vida do casal e da família, sem falar que na adolescência, com o aparecimento dos impulsos sexuais, em geral os portadores da síndrome manifestam intensa energia de natureza sexual, nem sempre fácil para os pais quanto a fazer a gestão de tais impulsos e suas práticas."Antes de falar essas coisas , o Sr Caio Fábio deveria se informar melhor. Esse é um dos mitos e lendas sobre a SD (o impulso sexual incontrolável). Eles não são diferentes de qualquer adolescente em época de furor hormonal....o comportamento que eles vão ter (assim como de qualquer outro adolescente) vai depender muito da educação que receberam.

    Mesmo que fosse verdade, quer dizer que as pessoas que manifestam intensa energia de natureza sexual não deveriam viver ? Quantas pessoas sem nenhuma deficiência se comportam sexualmente de maneira que julgamos inadequada ? Nesse caso a medicina deveria desenvolver testes pré natais que detectassem essa tendência, provavelmente esse sujeito recomendaria o aborto delas também.Caio Fábio : "No entanto, se o casal foi informado durante a gestação, e se angustia com o que será de suas vidas e da vidinha da criança, a menos que surja uma súbita convicção da parte de Deus no coração, o que deve ser feito é o que vocês fizeram." (o grifo é meu)

    E se surgir uma súbita convicção que Deus não quer o filho mesmo sendo "normal" ?? Como surge essa súbita convicção ?? Estamos falando de novas revelações de Deus ?

    A revelação de Deus nas escrituras é clara sobre a proteção à vida. Mais do que isso, Deus deixa bem claro durante toda a escritura que ele é Senhor soberano sobre todas as coisas e que nada acontece sem que ele permita. Quando pergunta a Moisés que dizia ser um deficiente (tinha problemas de fala), Deus responde: “Quem faz a boca do homem? ou quem faz o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego?. Não sou eu, o Senhor? Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar.” (Êxodo 4:10-12)

    Nesse momento Deus está assumindo a responsabilidade pela deficiência de Moisés. E Ele diz que fez isso intencionalmente ! Logo, meu filho não é vítima de um “acidente genético”. Deus é o que fez dessa forma. Mas , o mais interessante é que Deus não vê atraso mental, nem cegueira, nem surdez como uma deficiência. Ele não vê nenhum movimento pelo qual o problema de fala de Moisés pudesse impedir que ele fizesse a obra para qual estava sendo chamado. Deus promete não só acompanhá-lo, mas a ensinar o que a sua boca deveria dizer. O sucesso de Moisés na vida não dependia de suas próprias habilidades, mas de Deus que estaria com ele.
    Caio Fábio : "Creio também no Deus que vê o coração, e que não julga como julga o homem, e que sabe com que coração vocês tiveram que fazer isto."

    Ainda bem que Deus não julga como o homem... Se julgasse estaríamos todos condenados. Isso não significa que tudo que fazemos de coração está de acordo com a vontade de Deus, pelo contrário, a nossa natureza é pecadora e corrupta e o nosso coração não tem capacidade para decidir pelo bem. A frase é verdadeira, Deus sabe com que coração essas pessoas tomaram essa decisão, com o coração do homem natural.Caio Fábio : "Pecado, meu irmão, é ter filhos sem amor, é deixá-los crescer sem afeto, é não educá-los na justiça e na misericórdia, e, sobretudo, é chamá-los à existência sem que se tenha a disposição em amor quanto a cuidar deles; e isso todos os dias da vida que sobre a terra nos for dada viver."

    Ou seja, o filho de um estupro é pecado da estuprada ? Os filhos das pessoas que não conhecem meios contraceptivos são resultado do pecado ?

    Com essa afirmação também concluo que os filhos que não foram amados pelos pais estão automaticamente excluídos da graça de Deus e, portanto, nunca poderão encontrar a verdadeira felicidade.
    Caio Fábio : "Pecado não é abortar a criança que nasceria sem meios de viver a vida com independência, sendo que tal decisão foi objeto de dor e tristeza (Deus vê) por parte dos pais. Não! Pecado é gerar filhos que existem como abortos vivos no chão da Terra."Absolutamente intolerável...está chamando os deficientes de abortos vivos ???? Essa semana eu distribuí para os grupos que coordeno uma matéria sobre um paralisado cerebral com grave comprometimento físico...que escreve com a boca...e está no 2o ano da faculdade de jornalismo...isso é um aborto vivo ? Eu preciso apresentar ao Sr Caio Fábio dezenas de pessoas deficientes que levam vidas independentes : cegos que são promotores de justiça, surdos que são professores universitários, tetraplégicos que são gestores públicos importantes, autistas que são grandes músicos, deficientes mentais que são alunos universitários, bibliotecários, professores de jardim de infância.

    Caio Fábio : "Quanto ao mais, meu querido amigo, cuide bem de sua esposinha, encha-a de amor e carinho, e, tão logo quanto seja possível, busquem juntos ter um outro filho."

    Esse não vai ser fruto do pecado....eu imagino...Caio Fábio : "O que tanto você quanto a sua esposa precisam saber é que nesta vida, no chão dessa Terra caída, onde nascem aberrações — “cardos e abrolhos”—, ninguém tem a chance de poder fazer o tempo todo apenas as coisas boas e ideais."

    O meu cardo/abrolho está na cozinha ouvindo e cantando músicas de um disco de músicas evangélicas da Igreja Batista da Lagoinha, posso ouví-lo em alta voz cantando “Aos olhos de Deus, você é uma obra prima, que Ele planejou com suas próprias mãos ", depois de passar um dia divertindo-se no parque. Eu o prefiro imensamente mais às rosas artificiais do Sr Caio Fábio.

    Não há nada aqui que impeça qualquer pessoa, com ou sem deficiência, de ser bem sucedida diante de Deus. A minha função como pai não é a de preparar os meus filhos (com ou sem deficiência) para ser um membro produtivo da sociedade, mas ensiná-los a respeito da justiça, da bondade e de como caminhar humildemente com Deus.

    Os profetas do Antigo Testamento já acusavam os falsos profetas de mentir para o povo e para os reis com o objetivos de agradá-los. Cristo já nos alertava sobre o surgimento de falsos mestres que tentariam nos enredar com suas palavras agradáveis. Eles estão aí ao nosso lado, se intitulam pastores, continuam a distorcer a palavra com o objetivo de agradar aos seus seguidores, relativizam as verdades absolutas de Deus de acordo com os seus interesses, inventam novas revelações de Deus para atingir seus ganhos pessoais.

    Fiquemos atentos e alertas. Dediquemo-nos ao estudo da Palavra para que não sejamos enganados pelas palavras bonitas. E que Deus nos proteja e nos ajude.

    *Fábio Adiron Ribeiro é presbítero em disponibilidade da Igreja Presbiteriana do Brasil e membro da Igreja Presbiteriana Unida de São Paulo. É membro da comissão executiva do Fórum Permanente de Educação Inclusiva, moderador do Grupo Síndrome de Down do Yahoo e membro do Grupo de Estudos de Inclusão.

    Rabiscado por Tati às 6:10 PM.
    .::Tem 3... comente! ::.



    quarta-feira, fevereiro 22, 2006






    Dois panos rápidos!
    Primeiro gostaria de contar a todos que aderi ao fotolog. Claro que muita gente acha que é uma grande bobagem, mas como disse um amigo querido, em três ou quatro dias abandono as fotos de família e amigos e estarei dedicada às imagens relacionadas às causas da política mundial.
    Bem, levei três dias e já começa a acontecer...
    Segundo: Lindo texto que foi mandado pelo Fabio Adiron.
    Eu já conhecia, mas não me lembrava mais.
    Bem, é isso...
    Grande abraço a todos
    Tatiana

    ____________________________________________________________________

    1.Para conhecer meu fotolog:
    www.fotolog.com/tatischool

    2. Para lembrar um pouco da beleza de ser humano:

    "Não tenho caminho novo, o que tenho de novo é o jeito de caminhar
    Com a dor alheia aprendi que o mundo não é só meu
    Mas, sobretudo aprendi que mais do que simplesmente viver
    O que na verdade importa, antes que a vida apodreça
    É trabalhar a mudança do que é preciso mudar
    Cada um na sua vez, cada qual no seu lugar". (Thiago de Mello)

    Rabiscado por Tati às 5:05 PM.
    .::Tem 0... comente! ::.



    domingo, fevereiro 12, 2006



    .:: As vinhetas com as pessoas com Down já estão no ar na MTV ::.


    Segue mensagem recebida no fórum permenente de Educação Inclusiva!
    Ganhamos mais uma!!!
    Tatiana
    _________________________________________________________________

    Essa mobilizacao e inedita e sera historica.AbsPatMTV dá exemplo de inclusãoClips de jovens com síndrome de Down vão ao ar na emissoraA MTV começou a veicular durante a programação pequenas entrevistas feitas com jovens com síndrome de Down em que falam de suas vidas, do país, de música, etc. A gravação das entrevistas para o MTV Express foi o resultado de um acordo feito entre a MTV e o Movimento síndrome de Down. No VMB 2005, em outubro do ano passado, o ator Selton Mello, apresentador da premiação, usou a ultrapassada expressão “mongolóide” de modo pejorativo e preconceituoso. Membros de grupos de discussão sobre a síndrome de Down protestaram em massa, incluindo as próprias pessoas com síndrome de Down que são fãs da emissora e se sentiram ofendidas.Como reparação, a diretoria da MTV Brasil teve a feliz e conciliadora idéia de gravar entrevistas com os jovens falando de assuntos corriqueiros para provar que, apesar da deficiência intelectual, eles levam uma vida absolutamente comum. A atitude da MTV, além de contribuir para a informação – que é de longe a melhor arma contra ao preconceito, é um inédito exemplo de inclusão das pessoas com deficiência na sociedade.Uma história de mobilizaçãoFábio AdironEm 29 de setembro passado o ator Selton Melo, convidado especial da MTV para apresentar a festa de premiação do VMB 2005, utilizou a expressão "...um mongolóide estúpido..." para se referir às "qualidades" que um baterista de uma banda de rock deveria ter. A expressão foi colocada de forma exagerada, jocosa e preconceituosa. Ao seu lado outras como: grosso, bruto, imbecil e insano a acompanharam. O comentário foi repudiado por uma série de pessoas dos grupos de discussão sobre Síndrome de Down, Fórum de Inclusão, Marekting Direto e outros, pois demosntrava a ignorância sobre as pessoas com síndrome de Down, termo utilizado há muitos anos, no Brasil e no exterior, sendo importante recordar que a síndrome de Down é a síndrome mais reconhecida e estudada no planeta Terra. "Se levando em conta o caráter evidentemente pejorativo do termo mongolóide, esforços têm sido dirigidos no sentido de substituir, de vez, esta denominação pela de síndrome de Down". (Jornalista Claudia Werneck, maiorescritora brasileira de livros sobre a Síndrome de Down). "Nos países anglo-saxões as denominações "mongolismo" e "mongolóide" desapareceram do vocabulário pela pressão conjunta das associações de pais de pessoas com a síndrome e pelos meios científicos. Hoje em dia se fala da síndrome de Down ou da trissomia do 21. Seria desejável que a denominação "mongolismo" desaparecesse, já que não é adequada e conota uma série de ambiguidades".(Prof.Pós-Doutor Jean Adolphe Rondal-Université deLiège-Bélgica, cientista, pesquisador, dos mais reconhecidos no Mundo na área da síndrome de Down). Na medida em que acreditávamos que a MTV era uma emissora bem intencionada e que a veiculação de uma atitude tão constrangedoramente ofensiva tinha sido fruto apenas da falta de percepção de que se tratava de uma exibição de preconceito, a movimentação pedia também que se convidasse uma pessoa que convive com indivíduos com síndrome de Down, ou alguma pessoa habituada a lidar com este segmento da população em nível pedagógico ou clínico, para expor a visão atual que se tem desses indivíduos. Também se propôs, pela internet, um boicote à emissora. Como a primeira resposta foi apenas uma carta formal e protocolar, respondemos que ainda esperávamos uma atitude mais convicente da MTV para corrigir o problema (que por sinal não tinha sido corrigido nas reprises do programa). Fui contatado pela MTV e participei de uma reunião com o Zico Góes, diretor de programação que propôs que fizéssemos uma série do MTV Express com jovens com Síndrome de Down. MTV Express são programetes de 2 -3 minutos onde os jovens falam livremente a respeito de algum assunto do seu interesse e do seu cotidiano: trabalho, escola, política, música, lazer... idealmente no seu ambiente de trabalho, estudo....ou seja, fora de ambientes segregados. Acho que o ponto mais importante é que eles falariam por si mesmos, sem a tutela de pais, professores, especialistas...ou seja, nós... risos... afinal o que queremos é que eles tenham autonomia, não é mesmo ? Em 21 de Outubro passamos a tarde gravando as vinhetas do MTV Express com os nossos jovens, no Beco do Aprendiz, em São Paulo. Estavam presentes 14 garotas e garotos de 13 a 29 anos de idade e todos eles deram o seu depoimento sobre a situação do Brasil, sobre suas atividades. Tinha gente do grupo Síndrome de Down, do Carpe Diem , da Adid, do HappyDown, da UpDown e do Orkut. A equipe da MTV liderada pelo produtor Mauro Dahmer foi muito simpática e deixou a molecada bem à vontade, aliás, se deixassem, alguns ficariam falando a tarde toda. A única frustração foi a do Zeca da Idely que ficou inconformado porque a Cicarelli não estava lá...risos. Também foi interessante uma frase do Mauro que se surpreendeu de como eles eram diferentes entre eles. Acho fundamental que cada vez mais pessoas os olhem como indivíduos e não como um grupo. As vinhetas começaram a ser veiculadas esta semana durante a programação da MTV, sem horário específico.

    Rabiscado por Tati às 11:17 AM.
    .::Tem 1... comente! ::.



    quinta-feira, fevereiro 09, 2006



    .:: "É mais fácil desinntegrar um átomo do que um preconceito" Albert Einstein ::.


    Mudança de paradigma - os avanços da Convenção Internacional

    Existe desde 2002 um Comitê ad hoc formado na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, por representantes de 192 países para discutir e elaborar o texto da Convenção Internacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência. Organizações não-governamentais credenciadas também podem participar do processo. O Instituto Paradigma esteve presente na ONU na 6a. sessão, realizada em agosto de 2005, e na 7a. sessão, ocorrida em janeiro de 2006. O encontro foi muito produtivo.

    O avanço dos trabalhos se deu, em grande parte, ao fato do Chairman Don Mckay, presidente do Comitê, ter elaborado uma minuta para a negociação nesta sessão, com base nos debates anteriores. Assim, as delegações e as organizações não-governamentais se prepararam para as discussões de forma objetiva, com intervenções concentradas na essência do texto proposto.

    O documento também foi objeto de trabalho do seminário realizado pelo Instituto em dezembro passado na PUC-SP, em parceria com a CORDE e apoio do CVI-Brasil, Laramara e Banco Mundial. Na metodologia proposta, além da noite de palestras informativas que abriram o evento, organizaram-se oficinas aglutinadas por artigos e temas específicos da Convenção. O trabalho produzido pelas quase 200 pessoas participantes, de diferentes organizações públicas e privadas, foi compilado num texto único utilizado na sessão pela delegação brasileira, assim como para muitas outras discussões ocorridas durante a 7a. sessão.

    A comitiva do Brasil contou com Luiza Russo e Laís Lopes (Instituto Paradigma), Flávia Vital (CVI-Brasil), Regina Atalla (CONADE e CVI-Brasil) e Joelson Dias (CONADE e OAB-Federal), além do diplomata Pedro Cardoso, e da coordenadora da CORDE, Isabel Maior. Nossa participação foi sentida de forma intensa pelo trabalho em equipe realizado entre o governo, a diplomacia brasileira e os representantes da sociedade civil.

    Destaca-se a existência nesta 7a. sessão do “Projecto Sur”, idealizado e liderado por Luís Fernando Astorga, que possibilitou a vinda de 20 pessoas com deficiência representantes de organizações de países do hemisfério sul, em especial da América Latina e do Caribe. A idéia é fortalecer a voz do sul na Convenção, contemplando os anseios da realidade de países em desenvolvimento. Além da troca que ocorreu entre os países do sul, incluindo o Brasil, a participação direta no processo empodera as ONG´s de um papel importante na ratificação, implementação e monitoramento da Convenção nos seus países de origem.

    Ao final, o Chairman soltou um relatório pontual especificando os assuntos que restaram pendentes para a serem discutidos na 8a. sessão que será de 14 a 25 de agosto de 2006. Dentre eles, há o artigo das definições (art. 2). A grande discussão girou em torno da manutenção ou não da definição de deficiência e de pessoa com deficiência. Estes conceitos são importantes para identificação dos beneficiários da Convenção. De outra forma, cada país criará seu próprio conceito do público-alvo. Uma definição de deficiência que tem sido bem aceita é a contida na Convenção Interamericana.

    Quanto aos artigos de mulheres com deficiência e crianças com deficiência (art. 6 e 7), considerando que ambos possuem Convenções específicas na ONU, muitos países alegaram que não seria preciso. No entanto, pela dupla vulnerabilidade dos dois públicos-alvos, houve o consenso da necessidade de se especificar questões de gênero e idade na Convenção. As opiniões estão divididas em relação ao melhor lugar para constar tais menções, se em artigos específicos ou como parte do artigo que trata das obrigações gerais dos estados (art. 4).

    O artigo da educação (art. 24) é um dos emblemáticos que simbolizam a mudança de paradigmas na sociedade civil. Alguns países ainda sugerem que a educação especial seja prevista enquanto outros a aceitam apenas como residual. O artigo da reabilitação (art. 26) foi refinado e será revisto na próxima sessão. Suas discussões devem ter outro sentido porque a questão do treinamento e capacitação de profissionais ganhou status transversal no artigo 4 que trata das obrigações gerais dos Estados, a ser aplicado para todos os artigos da Convenção.

    O artigo sobre cooperação internacional (art. 32) e monitoramento internacional (art. 34) precisarão ser mais trabalhados. O primeiro com base no que foi apresentado pela delegação facilitadora para refletir o consenso entre os Estados, e o segundo, a partir dos mecanismos existentes com base na experiência das demais Convenções, analisando também a proposta inovadora da sociedade civil de ter um Ombudsman internacional.

    Entre os artigos mais difíceis está o que trata da capacidade jurídica das pessoas com deficiência intelectual ou distúrbios psico-sociais (art. 12). Em geral, a discussão está centrada no modelo que solicita que no texto conste que todos são titulares do exercício de sua capacidade legal. Alguns concordam que existam graus de tutelas necessárias. Outro artigo polêmico é o que trata de institucionalizações forçadas (art.17), que deverão ser feitas com consentimento livre e informado. Tem sido difícil o acordo acerca das restrições e proteções sobre tratamentos involuntários. Por fim, é também um tema difícil o de saúde (art. 25) no tocante aos direitos sexuais e reprodutivos.

    Acompanhe. Este será um espaço que o Instituto Paradigma estará sempre informando sobre este processo. Afinal de contas, nunca estivemos tão perto de ter uma Convenção!

    Laís Lopes
    advogada do Instituto Paradigma
    Luiza Russo
    presidente do Instituto Paradigma

    OBS: Este texto também será publicado na próxima edição da revista Sentidos na página do Instituto Paradigma.

    Rabiscado por Tati às 7:30 PM.
    .::Tem 0... comente! ::.



    domingo, dezembro 11, 2005



    .:: Continuando a polêmica... ::.


    Odeio admitir, mas desta vez concordo com a veja...
    _____________________________________________________________________

    Para atiçar a discussão:
    http://veja.abril.com.br/141205/p_076.html

    Rabiscado por Tati às 8:57 PM.
    .::Tem 1... comente! ::.



    terça-feira, novembro 29, 2005



    .:: Ensino Fundamental de nove anos: vale à pena? ::.


    Pessoal,

    Pra variar, estou indignada com o descaso dos srs membros da Comissão de Educação da Câmara Federal.
    Embora divulguem como grande avanço (e não digam que faz parte do plano diretor do FMI) o Ensino Fundamental de 9 anos, nada, absolutamente nada foi proposto para adequação do currículo à faixa etária.
    Quem já teve a experiência de trabalhar com 1a série com crianças que acabaram de fazer 6 anos sabe do que estou falando.
    Imaturos, dependentes, carregarão a responsabilidade de uma alfabetização e saltarão etapas importantes de seu desenvolvimento como correr, brincar, pintar, saltar, pois nossa escola fundamental nao está preparada sequer para alfabetizar, que dirá para atender a estas demandas....
    Criar uma nona série para que nossos alunos "ganhem" mais um ano de fracasso não é política séria.
    Destinar 0,6% do orçamento para a inclusão das creches no Fundeb também não...
    E nós assistindo a este espetáculo.
    Comentem, por favor.
    ________________________________________________________________
    http://noticias.uol.com.br/educacao/ultnot/ult105u4077.jhtm

    Rabiscado por Tati às 5:19 PM.
    .::Tem 3... comente! ::.



    sexta-feira, novembro 25, 2005



    .:: Problemas de conexão e algumas notícias importantes ::.


    Pessoal, peço desculpas pelo silêncio dos últimos dia... estou com problemas técnicos. Por isso, blogo da Lan House, encaminhando as Novidades do Dia 24/11, que recebo carinhosamente do Fabio Adiron...
    Espero voltar ao ritmo normal a partir de 01/12.
    Abraços
    Tatiana

    ___________________________________________________________________

    Portas fechadas ao preconceito em BH - Lançamento Ser Diferente é Normal emBH http://www.uai.com.br/uai/noticias/agora/local/202232.html

    Pioneiro da clonagem para fins terapêuticos pede desculpas por violação deética http://oglobo.globo.com/online/ciencia/189289163.asp

    SP INAUGURA 1º TERMINAL PÚBLICO PARA ACESSO A PESSOAS COM DEFICIÊNCIAhttp://www.entreamigos.com.br/noticias/AlkiminInaugura.html

    ATLETAS COM DEFICIÊNCIA REPRESENTAM O BRASIL NA MARATONA DE CHICAGOhttp://www.entreamigos.com.br/noticias/AtletasComDeficiencia.html

    ESTAÇÃO TAMANDUATEÍ RECEBE TELEFONE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVAhttp://www.entreamigos.com.br/noticias/EstacaoTamanduatei.html

    UMA SEMANA PARA SUPERAR AS BARREIRAShttp://www.entreamigos.com.br/noticias/UmaSemana.html

    ESTAÇÕES DA LINHA A DA CPTM RECEBEM TELEFONES ESPECIAIShttp://www.entreamigos.com.br/noticias/EstacoesDaLinha.html

    Acessibilidade é tema de seminário amanhã na Capitalhttp://www.campogrande.com/view.htm?id=314896

    Crea promove seminário sobre acessibilidade na sexta-feirahttp://www.aquidauananews.com/index.php?action=news_view&news_id=74337

    Cadeirantes encaram corrida de ruahttp://www.cosmo.com.br/esportes/integra.asp?id=130006

    Leis e projetos melhoram prédios e criam cultura contra desperdíciohttp://www.jornaldomeioambiente.com.br/JMA-index_noticias.asp?id=8723

    Campeonato de Dança em cadeira de rodashttp://www.universia.com.br/materia/materia.jsp?materia=9228

    Artigos/Eventos

    ESTÁGIO EM DEFICIÊNCIA MENTAL<http://www.entreamigos.com.br/calendario.html#calendario1>
    De 21 a 25 de novembro e de 28/novembro a 02/dezembro. Programa: DeficiênciaMental, definição e classificação; Aspectos psiquiátricos da D.M. eSíndromes importantes incluindo Autismo e Síndrome de Asperger.

    FORMAÇÃO DE BRINQUEDISTAS<Dias" target=_blank>http://www.entreamigos.com.br/calendario.html#calendario2>Dias 05,12,19 e 26 de novembro de 2005. Programa: Porque brincar, porquebrinquedotecas; Desenvolvimento Infantil segundo Piaget e O brincar nasdiferentes etapas do desenvolvimento.

    Inclusão nas escolas municipais - a experiência de Sorocaba Convidada : Elaine Perez - Educadora Data: 26 de Novembro de 2005- 15hLocal: Rua Doutor Homem de Melo 714 - Perdizes- São Paulo (próximo à PUCSP) Inscrições gratuitas : inclusao@gmail.com ATENÇÃO: vagas limitadas a 50 pessoas

    Novidades do dia é uma constante homenagem à Rede SACI (www.saci.org.br)

    Colaboradores : Anahi Guedes Mello, Ana Maria Barbosa , Edilson Santos,Francisco J. Lima, Márcia Rocha, Marta Gil, Patrícia Almeida, Paulo RomeuFilho, Sandra Ribeiro

    Fonte: Fórum Permanente de Educação Inclusiva

    Rabiscado por Tati às 10:22 AM.
    .::Tem 0... comente! ::.